Em cima da hora:
Queda de energia em Brotas deixa serviço da Defesa Civil fora do ar
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 11/02/2014


    Sobe - O retorno do Programa Leite Fome Zero para a alegria de crianças em creches dee Feira

    Desce - O desencontro entre entes governamentais, que acaba deixando funcionários do HGCA sem salários
     
     
    Encontro marcado

    O pré-candidato ao governo do Estado, Rui Costa, realizou no ultimo sábado (08) uma reunião no Hotel Ibis, em Feira de Santana. O objetivo foi discutir o que já foi realizado até o momento nos sete anos do governo Jaques Wagner e debater a composição do programa de governo petista. “Estamos lançando o debate naquilo que acreditamos. A participação é palavra-chave dessa caminhada e usaremos diversas metodologias para que essa pretensão seja alcançada”, disse. O deputado estadual Zé Neto, o vice-governador Otto Alencar; o senador Walter Pinheiro e a subsecretária de Desenvolvimento e Integração Regional (Sedir), Eliana Boaventura estiveram presentes.
     
     
    Olho no tempo

    O tempo de propaganda eleitoral dos pleitos realizados no país é calculado com base na quantidade de deputados federais no Congresso Nacional. Cada deputado detêm aproximadamente 2,34 segundos de tempo de mídia, considerando que o horário eleitoral gratuito tem 30 minutos, com 20 deles direcionados para os 513 parlamentares na Câmara Federal. Já os outros 10 são divididos igualmente para a quantidade de candidatos nas majoritárias para governo e presidência. No caso da Bahia, se o cenário for confirmado, o eleitor terá a possibilidade de assistir e estudar as propostas de quatro candidatos ao governo: Rui Costa (PT), Paulo Souto (DEM) ou Geddel (PMDB), Lídice da Mata (PSB) e Marcos Mendes (PSol).
     
    Unidade

    Há, desde o ano passado, um esforço entre os principais partidos da oposição baiana para que o interesse pela unidade sobressaia aos solavancos comuns ao processo de sua construção e resulte no lançamento de uma chapa única à sucessão do governador Jaques Wagner (PT). Ele é perceptível em todas as conversas de que tomam parte deputados, prefeitos, vereadores e lideranças abrigadas em legendas como DEM, PSDB e PMDB, não importa o contexto – de aniversários a casamentos, passando por encontros exclusivamente partidários e até os chamados batizados de bonecas, se é que realmente ocorrem.
     
    Bancada ignorada

    O deputado federal José Carlos Araújo, do PSD, assumiu na última semana a coordenação da bancada baiana no Congresso Nacional, com um problemão para administrar: a insatisfação dos 39 deputados federais e três senadores, com o não pagamento dos R$ 630 milhões previstos nas emendas da bancada, referentes ao orçamento de 2013. Em entrevista à Tribuna, Araújo disse que o Planalto tem ignorado a bancada baiana e que no “governo Dilma é muita promessa e pouco cumprimento efetivo”. Ao analisar a sucessão estadual, o parlamentar defendeu o nome de Otto Alencar para o Senado e que ele levará a melhor na disputa contra os adversários. 
     
     
    Dinâmico

    Candidato ao Senado em 2010 na chapa de Geddel Vieira Lima, Borges disse que a política é “algo dinâmico”, ao explicar o atual apoio ao candidato do PT ao governo, Rui Costa. “As alianças se alteram e levam a circunstâncias de cada momento. O apoio do PR à candidatura de Rui Costa foi oficializado em ato na manhã de ontem (10). “É natural que, aqui na Bahia, ocorra o alinhamento, uma vez que o palanque da presidenta Dilma será o de Rui Costa”, explicou Borges.
     
    Explicações

    Henrique Pizzolato admite que usou a identidade do irmão morto há mais de 30 anos porque temia ser identificado pelas autoridades e enviado de volta ao Brasil e, num apelo dramático, insistiu à Justiça italiana que “não tinha mais para onde ir”. As informações fazem parte do depoimento de Pizzolato diante dos juízes do Tribunal de Bolonha. As declarações são as primeiras feitas pelo ex-diretor do Banco do Brasil desde que foi condenado no Brasil. Mas, ele deu à Justiça italiana uma versão diferente da apuração e das investigações feitas pela Polícia Federal no Brasil. 
     
     
    Preservação

    O fato de Luiz Inácio Lula da Silva voltar a usar sua tradicional barba é apenas um item do plano estratégico já traçado entre os petistas neste período de pré-campanha: o ex-presidente tomará a linha de frente dos embates públicos com os adversários até o fim da Copa do Mundo, em meados de julho. A ideia é criar a imagem de que sua sucessora e pré-candidata à reeleição, Dilma Rousseff, está concentrada na administração do País e na realização do evento esportivo. A estratégia da pré-campanha foi definida em duas reuniões. A que decidiu o papel de Dilma foi em Brasília e a segunda, que discutiu o uso da internet, na sede do Instituto Lula, em São Paulo.
     
     
    Mobilidade

    A presidenta Dilma Rousseff disse ontem (10) que o governo federal, em parceria com estados e municípios, está investindo R$ 143 bilhões em mobilidade urbana. Segundo a presidenta, a prioridade é o transporte sobre trilhos: são R$ 33 bilhões só do governo federal para construir metrôs em nove cidades brasileiras. “Nosso objetivo é ampliar e acelerar as obras, que vão tornar o transporte coletivo mais confortável, rápido e muito mais seguro e com um preço bem acessível”. No programa semanal Café com a Presidenta, Dilma informou que o investimento contempla mais de 3,5 mil quilômetros em obras de transporte coletivo, que incluem metrôs, trens urbanos, monotrilhos, veículos leves sobre trilhos (VLTs), além dos corredores de ônibus. 


Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia