Em cima da hora:
Projeto contra corrupção do MPF já coletou mais 31 mil assinaturas na PB
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 02/12/2020


    Sobe - Prefeitura por mais uma vez priorizar saúde e educação no orçamento.


    Desce - ANEEL por cobrar a maior taxa extra no consumido de energia com brasileiros ainda abalados pela pandemia.


    Sem puxa-saquismo


    Reeleito para mais um mandato à frente do Governo Municipal, o prefeito Colbert Filho (MDB) fará “uma administração verdadeiramente sua, sem puxa-saquismo”, afirma o vereador Isaías de Diogo (MDB). O chefe do Poder Executivo cumpre como titular um período de dois anos e oito meses deste mandato iniciado em 2017, cargo herdado do prefeito eleito José Ronaldo de Carvalho (DEM), que renunciou para concorrer a governador da Bahia em abril de 2018.


    Desafios de Colbert


    Cumprir as promessas e “consertar eventuais erros”, são os desafios do prefeito Colbert Martins Filho (MDB) em seu segundo mandato, a se iniciar em 1º de janeiro de 2021, segundo entendimento do vereador Lulinha (DEM). Apoiador da candidatura à reeleição do atual gestor, ele disse na Câmara que é isto que a população espera da futura administração.


    A vitória


    Sobre a vitória no 2º turno diante de Zé Neto, observou que os adversários “estavam convictos que o petista ganharia, que ia dar ‘de lapada’ e alguns se venderam”, questionando a postura de políticos que, segundo ele, “traíram o grupo”, depois de “comer no prato” do prefeito Colbert Martins e do ex-prefeito José Ronaldo. “Não adiantou o governador vir para Feira de Santana falar mal de Colbert e Zé Ronaldo”, afirmou Lulinha, sobre a eleição do candidato situacionista.


    Mudança


    A população quer “mudanças estruturais, começando pelas secretarias”, diz o vereador Cadmiel Pereira (DEM), sobre o futuro mandato do prefeito Colbert Martins Filho (MDB), reeleito no domingo. Seu discurso coincide com o do gestor, que logo após o pleito, em entrevistas para programas de rádio, anunciou que pretende realizar uma reforma administrativa na máquina municipal.


    “Me implorou”


    O vereador Edvaldo Lima (MDB) revelou em discurso na Câmara Municipal ter sido convidado duas vezes para ser o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo deputado federal Zé Neto, do Partido dos Trabalhadores, nas últimas eleições em Feira de Santana. “Recebi este convite e disse não duas vezes”. A iniciativa teria partido do presidente do Partido Progressista (PP) na Bahia. “Me implorou, o vice-governador João Leão”, declarou. Edvaldo, que já fez parte da legenda, diz que respondeu “a ideologia do PT afronta a Deus e à família”.


    Mesa diretora


    A Câmara elegeu ontem, 1, por aclamação, o novo 2º secretário da Mesa Diretora, o vereador Eli Ribeiro (Republicanos). Ele substitui a vereadora Eremita Mota (PSDB), que licenciou-se da Casa para atender a convite do prefeito Colbert Martins Filho (MDB) e está ocupando o cargo de secretária municipal de Educação, no lugar do vereador Justiniano França, que retornou ao Legislativo recentemente (dia 23 de novembro).


    Mesa diretora


    Eli permanece na função até o dia 31 deste mês, quando se encerra esta legislatura. No dia 1º de janeiro de 2021 acontece a posse dos vereadores eleitos no último pleito e, então, será realizada uma eleição para escolha do futuro presidente do Poder no biênio seguinte e também dos demais integrantes da Mesa Diretiva.


    E quem está agora?


    Atualmente, o comando da Câmara tem a seguinte composição: José Carneiro Rocha (MDB) - presidente; Alberto Nery (PT) - 1º vice-presidente; Marcos Lima (DEM) - 2º vice-presidente; Lulinha (DEM) - 3º vice-presidente; Cadmiel Pereira (DEM) - 1º secretário; Eli Ribeiro (Republicanos) - 2º secretário; Fabiano da Van (MDB) - 3º secretário e Gerusa Sampaio (DEM) - corregedora.


    Fenômeno do pulo


    O Patriotas chegou a ser assediado para o “fenômeno do pulo”, diz o vereador representante da legenda na Câmara, vereador Sargento Josafá Ramos, sobre proposta que teria sido feita de adesão à campanha do candidato a prefeito pelo PT, Zé Neto, no 2º turno das eleições para prefeito de Feira de Santana. “Mas escolhemos a virada, continuar com o prefeito Colbert Martins (MDB)”.


    Reflexão


    “Muita gente pulou em queda livre. Pensou que estava resguardado por algum tipo de proteção, mas o paraquedas não abriu”. O vereador lança um questionamento à reflexão de todos: “a reeleição do prefeito, aliado do ex-prefeito Zé Ronaldo (DEM), foi uma vitória sobre o deputado federal Zé Neto ou uma derrota para o Partido dos Trabalhadores?”. A dúvida é levantada, segundo ele, pelo fato de que muitas pessoas que declaravam apoio a candidatura do deputado federal, “não queriam conta com o PT”.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia