Em cima da hora:
Enchente atinge bananais em três cidades do Vale do Ribeira, SP
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • 07/11/2014


    07.11.2014 11h55m
    Recomendar

    Sobe- A Prefeitura , que lançou aplicativo com a finalidade de agilizar a transação de imóveis.
    Desce- Jornal impresso da capital, que “chupou” reportagem do Folha do Estado sem dar o devido crédito.


    Caráter
    Semana passada, uma senhora veio se queixar no Jornal Folha do Estado de que realizou um depósito erroneamente na conta de uma empresa cujo débito não existia. Erro dela. Mas, isso não a impediu de pedir a restituição do seu dinheiro, o que é justo. O encarregado da empresa criou dificuldades para a devolução da quantia.

    Sem caráter
    Com base nessa crise de caráter, o Folha do Estado pautou seus repórteres para ouvir 20 pessoas na cidade com a seguinte pergunta: Se alguém depositar dinheiro indevido em sua conta, você o devolve? 18 entrevistados disseram que devolveriam imediatamente. Um disse que verificaria e comprovado, imediatamente, devolveria. Um outro disse que não devolveria e se o depositante o quisesse de volta, entrasse na Justiça. A resposta discrepante da maioria esmagadora fomos, com o nome do entrevistado, verificar se o mesmo tinha passagem pela polícia. Tinha.

    Recuperado
    O deputado Targino Machado (DEM) mandou comunicado à imprensa informando que se submeteu a uma pequena cirurgia no joelho, no Sírio Libanês em São Paulo, na última terça-feira (04) e já se encontra na cidade. Bem-vindo deputado.

    Ministro
    A presidente Dilma Rousseff disse que só anunciará o nome do novo ministro da Fazenda depois de voltar da reunião de Cúpula do G-20, que será realizada em Brisbane, Austrália, entre 14 e 15 de novembro. Dilma deve estar de volta ao Brasil somente no dia 17 de novembro. A afirmação da presidente foi feita em uma rápida entrevista ao final da cerimônia realizada após reunião com lideranças do Partido Social Democrático (PSD) e desmente informação publicada no jornal O Estado de São Paulo de que o nome do novo ministro seria anunciado até 15 de novembro. Questionada se vai anunciar apenas o novo ministro da Fazenda quando voltar, ou de todos os novos ministros para o segundo mandato, a presidente apenas respondeu: “Por partes”.

    Indexador
    O presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, Fernando Collor de Mello (PTB-AL), afirmou que, “finalmente”, se conseguiu “construir uma maioria no Senado para mudar essa lógica perversa”, ao comentar a aprovação, nesta noite, do projeto que muda o indexador da dívida dos governos de Estados e prefeituras com a União. “É uma votação histórica porque se corrige uma injustiça cometida contra os entes federados, especialmente contra um Estado carente como o nosso, que pode começar a criar novas condições para o seu desenvolvimento”, afirmou. De acordo com Collor, o governo de Alagoas paga por mês mais de R$ 50 milhões em juros à administração federal.

    Acordo CPI
    Parlamentares da CPI mista da Petrobras firmaram um acordo para blindar políticos citados durante as investigações do esquema de pagamentos de propina com recursos da estatal. Na lista de 835 requerimentos de convocação e convites apresentados, há nomes tanto do PT quanto da oposição. Entre eles, da presidente Dilma Rousseff (PT), do ex-presidente Lula (PT) e do senador Aécio Neves (PSDB). Nenhum dos pedidos foi apreciado pela comissão. O PT conseguiu barrar convocações como a da senadora paranaense Gleisi Hoffmann, a do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e a do tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.

    Dívidas
    Após o fechamento das prestações de contas das campanhas eleitorais, constata-se que os candidatos vistos como apostas no PT terminaram o pleito com uma dívida total de R$ 43 milhões. Os senadores Lindbergh Farias (RJ), Gleisi Hoffmann (PR) e o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (SP) foram derrotados ainda no primeiro turno das eleições. Segundo levantamento do Estadão, Padilha foi o que mais saiu endividado: R$ 25 milhões; Gleisi no Paraná arrecadou R$ 21 milhões e gastou R$ 26,9 milhões; no Rio de Janeiro, Lindbergh teve saldo negativo de quase R$ 12 milhões.

    Cultura
    Na tarde da última quarta-feira (05), os deputados aprovaram na Assembleia Legislativa da Bahia por unanimidade o projeto de Lei 20.864/2014, que institui o Plano Estadual de Cultura da Bahia. O projeto foi aprovado por meio de um acordo de lideranças, encaminhado pelo deputado estadual Zé Neto (PT), representando a bancada de governo, e pelo deputado Carlos Gaban (DEM), representando a bancada de oposição. O Plano Estadual dialoga com o Plano Nacional de Cultura, aprovado em 2010 pelo Congresso Nacional, que tem vigência até 2020. A aprovação do plano contribui para conferir maior estabilidade às políticas culturais na Bahia.
     



  • 05/11/2014


    05.11.2014 17h11m
    Recomendar

    Cabuçu

    Numa inocente vista à praia de Cabuçu, o vereador José Carneiro Rocha (PSL) se deparou com ônibus escolares fazendo turismo e disparou ontem (04) na tribuna. “Ônibus escolares são adquiridos com nosso dinheiro e devem apenas fazer o transporte escolar e não turismo. Tenho muito respeito a Orlando, prefeito de Santo Estevão, mas o Ministério Público e o Ministério da Educação têm que investigar o fato e punir as pessoas que liberaram estes ônibus”, denunciou.

    Vara
    A possibilidade da 6ª Vara do Trabalho de Feira de Santana ser transferida para Serrinha chamou a atenção do vereador Marcos Lima (PRP) que expressou seu repudio na tribuna. “Não entendo essa matemática. Querem tirar órgãos de Feira....São mais de 12 mil processos acumulados nesta Vara e querem levar para outra cidade. Imaginem como ficará a Justiça do Trabalho com uma Vara a menos. Nada contra Serrinha, mas acredito que Feira já é grande o suficiente para ganhar órgãos e não perder”, avaliou.

    Apoio fechado
    O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), conseguiu fechar o apoio de cinco partidos para sua chapa para disputar a presidência da Casa em 2015. Além da bancada peemedebista, Cunha fechou acordo com PTB, PR, PSC e Solidariedade (SDD). Essas legendas terão 152 deputados na legislatura que toma posse em fevereiro. O acordo foi selado em um almoço no apartamento do líder do PMDB em Brasília, onde líderes partidários se reuniram para discutir a manutenção do “blocão” que desafiou o Palácio do Planalto no ano passado. “Foi feita essa discussão durante a semana (passada) e tem apoio da bancada para a candidatura”, disse o presidente do SDD, deputado Paulinho da Força.

    Guerra fiscal
    Depois de muita negociação, o substitutivo do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) que autoriza o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) a legalizar os incentivos fiscais concedidos aos estados mesmo sem unanimidade do colegiado, como é exigida foi aprovado ontem (4), pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. A expectativa é que a matéria seja votada, em plenário, hoje (5). O texto apresentado por Luiz Henrique acaba com o risco de inconstitucionalidade da proposta original (PLS 130/2014), da senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO).

    TCU
    A senadora e ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR) publicou ontem, 4, uma nota em seu perfil oficial no Facebook classificando de “completamente infundada” a informação de que ela estaria cotada para uma vaga no Tribunal de Contas da União (TCU). “Respeito o Tribunal, seus ministros, técnicos e funcionários, mas não recebi convite para integrá-lo e desconheço completamente este assunto. Sou Senadora da República, meu atual mandato vai até 2018 e tenho orgulho de defender os interesses do meu Estado e do povo paranaense”, diz Gleisi na nota. Ela lamenta ainda ter de “conviver com invenções, ilações e especulações”.

    Independência
    A bancada do PSB no Senado deve adotar uma posição de independência em relação ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT). “O PSB vai continuar sendo um partido independente, principalmente no que se refere às votações, já que sempre votamos no que é positivo e propositivo para o País”, disse o deputado e ex-jogador de futebol Romário, que foi eleito senador pelo Rio. O PSB terá no Senado na próxima legislatura seis senadores. Já a bancada que o partido elegeu na Câmara, de 34 deputados, se reúne à tarde para discutir o mesmo assunto. A decisão final sobre o posicionamento que a sigla irá adotar no Congresso será tomada pela Executiva Nacional até o final do mês.

    Gastos
    Preocupado com os resultados negativos das contas públicas, o governo fez novo apelo aos parlamentares na manhã de ontem, 04, para que não aprovem projetos que tragam mais gastos para o caixa da União. O pedido foi feito pelo ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, em reunião com lideranças da base na Câmara. “O ministro recomendou para segurar qualquer tipo de projeto que mexa com o Orçamento”, relatou Nelson Marquezelli (PTB-SP), um dos presentes ao encontro.

    Reforma política
    A quarta colocada nas eleições presidenciais de 2014, Luciana Genro (PSOL), participou de manifestação pública dos movimentos sociais pela Reforma Política ontem (04), em São Paulo. A mobilização foi em defesa da participação popular na Reforma Política, através da realização de um plebiscito que consulte a população sobre a realização de um Constituinte Exclusiva do Sistema Político. “Para que a Reforma Política aconteça e signifique avanços democráticos é preciso a mais ampla participação popular. Precisamos de uma revolução democrática no Brasil”, defendeu.



  • 04/11/2014


    04.11.2014 17h53m
    Recomendar

    Sobe- Feira de Santana pelo brilhantismo na realização do Outubro Rosa e pela inciativa do Novembro Azul.
    Desce-O aumento exacerbado do preço da gasolina em todo o território nacional.

     

    Gasolina
    Revoltado com o aumento inesperado da gasolina, o vereador Roque Pereira (PTN) usou a tribuna na manhã de ontem (03) para expor sua indignação. “É preciso que o PROCON atua na cidade punindo os donos de postos de gasolina que estão agindo de forma sorrateira em Feira de Santana. Por conta própria e de forma particular, alguns donos de postos de gasolina aumentaram o valor do combustível”, disparou.

    Cachorro
    Chateado com a mudança repentina de apoio à presidência da Câmara, o vereador Correia Zezito (PTB)soltou os cachorros em Wellington Andrade (PTN) que decidiu apoiar Ronny para as eleições da Casa em dezembro e esqueceu de lhe avisar, deixando-o navegar no “barco” de Carlito. “Se Ronny se eleger vai fazer um mandato de excelência. Mas, Wellington não me avisou que ia passar de Carlito para Ronny, nem Carlito me falou que não é mais candidato. Estou decepcionado com Wellington, que poderia ter me avisado porque me chamou para apoiar Carlito. São pessoas que não têm palavra. Por isso amo meus cachorros”, desabafou Correia.

    Cachorro I
    Depois de ouvir os desabados de Correia, Zé Carneiro (PSL) pediu licença e disparou contra o colega. “Para ser direito e honesto tem que ser igual a Wellington, um homem de bem, de caráter, de respeito. Não posso ouvir aqui alguém falar mal dele”, defendeu.

    Atenção
    Depois de ouvir mais dois colegas declararem, publicamente, apoio ao então candidato à Presidente da Câmara Ronny, Eremita (PDT) decidiu, num eufemismo, abrir o coração e mandar um recado ao colega. “Já percebi que a eleição de Ronny já está consumada e, pelo que ouvi dos colegas, com a chancela de Ronaldo. Mas, quero fazer um alerta a Ronny: numa entrevista que ouvi de Marcelo Nilo, quando questionado qual o segredo para estar no quinto mandato da Asssemblea, ele respondeu que faz o mandato para os 63 parlamentares. Então, quero que Ronny tenham sabedoria e saiba que aqui os 21 são iguais e são diferentes”, alertou ao colega.

    Coletiva cancelada
    O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado por envolvimento no mensalão, tinha prometido fazer seu “desabafo” hoje (04), mas cancelou a entrevista coletiva. Em Módena, o ex-diretor convocou a imprensa para dar a sua versão dos fatos. Fontes próximas a ele indicaram que ele iria defender sua inocência, atacar a decisão do STF e até justificar o uso de documentos falsos para fugir do Brasil. Mas, menos de 24 horas antes do evento, ele cancelou a coletiva sob o argumentando de que a imprensa estava publicando “notícias falsas” sobre suas condições de vida.

    Sem apoio
    Dirigentes do PSDB ouvidos pelo Estado afirmaram que o partido não teve participação na organização do ato realizado no último sábado (01) na região da Avenida Paulista pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os tucanos atribuíram as manifestações ao que chamam de sentimento de indignação com o PT no governo e na campanha eleitoral. Já os petistas classificaram o protesto como “golpista”. O ato reuniu cerca de 2,5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar. Alguns manifestantes exibiram cartazes que pediam intervenção militar no País. “Não houve nenhuma intervenção partidária. Nem nossa, nem de nossos aliados na mobilização. É um ato espontâneo, voluntário, produto de uma indignação que está existindo”, afirmou Alberto Goldman

    Convite rejeitado
    O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, teria rejeitado o convite de Dilma Rousseff (PT) para presidir o Ministério da Fazenda, de acordo com informações do jornal “Valor Econômico”. Com a negativa, Dilma estaria considerando chamar Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central e favorito de Lula, para presidir a pasta. Segundo o jornal, a resistência da presidente a Meirelles teria diminuído – ela era contrária à indicação dele por dificuldades de relacionamento. Já segundo a coluna Radar, da revista Veja, Lula deve negociar pessoalmente a ida de Trabuco para a Fazenda, afirmam petistas gaúchos.

    Ministério
    O ministro do Trabalho, Manoel Dias (PDT), evitou dizer se seguirá no cargo no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT). Ele disse à reportagem que participa do governo representando seu partido, que deve se reunir para discutir a participação a partir do próximo ano. “Estou representando um partido e essa discussão vai se desenvolver a partir do momento em que a presidenta convocar o nosso partido para discutir”, afirmou. Questionado se estaria disposto a seguir no governo, Dias respondeu não ser uma decisão com base em vontade individual. “Não tenho vontade própria, sou um homem de partido, cumpro tarefas”, disse.

     

    Pasadena
    O Palácio do Planalto trabalha para emplacar um aliado na vaga do ministro do Tribunal de Contas da União José Jorge, que se aposenta no próximo dia 18, ao completar 70 anos. A indicação de um substituto de perfil amigável é considerada estratégica pelo governo, pois o novo ocupante da cadeira herdará a relatoria dos processos de investigação da Petrobrás, entre eles o que avalia prejuízos na compra da refinaria de Pasadena (EUA). A apuração sobre Pasadena tem potencial para causar mais danos políticos à presidente Dilma Rousseff – que presidia o Conselho de Administração da Petrobrás na época da aquisição, iniciada em 2006.
     



  • 01/11/2014


    03.11.2014 18h29m
    Recomendar


    Mudança
    O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, evitou dar mais detalhes sobre a proposta de alteração da meta de superávit primário em 2014. “O texto vai ser proposto pelo ministério do Planejamento e a presidente Dilma Rousseff vai analisar”, disse. “Como vamos fazer, ainda vamos informar até o dia 22 de novembro. Embora estejamos no dia 01, não tenho a totalidade das receitas de outubro”, disse. Segundo o secretário, a opção de não cortar investimento foi importante para uma retomada econômica mais rápida. Augustin disse que as outras despesas não obrigatórias estão em linha com o decreto de programação. Elas não poderiam ser reduzidas, o que tem de crescimento são necessidades do País”. Afirmou. “São despesa de custeio, mas são fundamentais como educação. 

    Desvio 
    A Operação Nomadismo, deflagrada ontem (31) pela Polícia Federal (PF) em parceria com a Previdência Social, pode ter identificado a ponta do iceberg de uma quadrilha que fraudava o Instituto Nacional do Seguro (INSS). Até o momento, foram contabilizados cerca de R$ 4 milhões em valores desviados, mas, segundo o delegado Marcelo Fernando Bórsiom, a soma pode chegar a R$ 40 milhões. “Das 17 pessoas ouvidas hoje, 12 já foram indiciadas. Há pelo menos dois servidores [públicos] envolvidos no caso”, informou o delegado. De acordo com ele, de janeiro a maio de 2010, os fraudadores enviaram informações falsas ao INSS, principalmente por meio de Guia de Recolhimento do FGTS (Gfip) fraudulentas, a fim de “criar qualidade de segurado para pessoas que não trabalham em empresas”.

    Aval 
    O deputado federal Carlos Sampaio (SP), coordenador jurídico do PSDB, disse ontem, 31, ao Estado que o senador Aécio Neves, candidato derrotado à Presidência e presidente da sigla, deu aval para o pedido de auditoria do resultado das eleições protocolado na última quinta-feira, 30, pelos tucanos. “Falei com Aécio pelo telefone. Disse a ele que fizemos uma discussão no grupo jurídico porque vimos que se instalou um clima de insegurança em relação ao sistema de votação. Ele disse que não se opunha e deu aval (para o pedido de auditoria)”, afirmou.

    Reassumindo 
    O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, reassume ontem (31) a pasta após quase dois meses afastado para dedicar-se à campanha à reeleição da presidenta Dilma Rousseff. No início de setembro, Rosseto foi exonerado a pedido e o comando do ministério foi assumido pelo secretário-executivo, Laudemir Müller. Rosseto foi o único a pedir exoneração para participar da campanha. Outros ministros, que haviam saído de férias, também retornaram ao trabalho esta semana, entre eles o da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho; o da Casa Civil, Aloizio Mercadante; o da Agricultura, Neri Geller; o da Aviação Civil, Moreira Franco; e o da Pesca, Eduardo Lopes.

    Orçamento 
    A Câmara Municipal de Salvador vai iniciar a discussão com a população sobre a Lei Orçamentária Anual (LOA). A primeira audiência pública será realizada, no próximo dia 7 de novembro, na Federação. O encontro está marcado às 19h, na Escola Municipal Cidade de Jequié (Avenida Cardeal da Silva, 152). De acordo com o presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização da CMS, vereador Claudio Tinoco (DEM), o projeto de Lei nº 209/2014 – de autoria do Executivo que estima a receita e fixa as despesas para o próximo ano da Prefeitura – foi encaminhado ao Legislativo no dia 30 de setembro e se encontra em tramitação. 

    Doação 
    As campanhas de ao menos 125 deputados e dez senadores que disputaram a reeleição neste ano contaram com uma “caixinha” feita entre secretários parlamentares e assessores. De acordo com levantamento, a contribuição de 363 funcionários resultaram na doação de R$ 1,38 milhão para seus respectivos chefes. Em mais de um caso foram identificadas doações cujo valor superava o salário pago pelo gabinete do deputado ou do senador. A contribuição de pessoas físicas é permitida pela legislação eleitoral. A única restrição é que o valor não ultrapasse 10% dos rendimentos brutos declarados no ano anterior ao da eleição. 

    Assembleia Constituinte 
    A Assembleia Constituinte para reforma política, alvo do plebiscito analisado pela Câmara e pelo Senado, só deve ocorrer dois anos após a possível publicação do decreto. A definição da data cabe ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após a homologação do resultado da consulta popular. Os brasileiros devem responder à pergunta: “Você é a favor de uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o Sistema Político?”. Caso a maioria da população responda “sim” à pergunta, a assembleia constituinte será convocada para decidir exclusivamente sobre a reforma do sistema político.

    Gastos 
    O governo prepara um pacote de corte de gastos para eliminar entre R$ 40 bilhões e R$ 50 bilhões no Orçamento de 2015, o que inclui investimentos públicos. A medida vem após a decisão do Banco Central (BC) de elevar a taxa básica de juros do país de 11% para 11,25%. A ideia é divulgar as medidas antes de 12 de novembro quando o ministro da Fazenda, Guido Mantega, embarcará rumo a Austrália para participar da reunião de ministro do G-20. Com os cortes, o governo pretende sinalizar um superavit primário do setor público de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015.

     



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia